Aventura Alpina Expedições

contato@aventuraalpina.com.br

+55 11 98304-9997

Rua Congo, 311

Jardim Bonfiglioli

Jundiaí-SP

32.746.642/0001-20

lnt.jpg
FA Naui.jpg
  • @andreperlatti

Matéria TvTec: guia da AA André Perlatti tentará escalar sozinho o maior vulcão do mundo

Atualizado: 25 de Jan de 2019



O empresário e alpinista jundiaiense André Perlatti, de 35 anos, vai escalar sozinho o maior vulcão do mundo, o Ojos del Salado, de 6.893 metros de altura, localizado no Atacama. Ele parte no dia 9 de fevereiro de 2019. André tem um projeto para escalar os sete maiores vulcões dos sete continentes e já escalou três cumes: Elbrus, na Rússia; Kilimanjaro, na Tanzânia; e Damavand, no Irã. Ojos del Salado será o quarto e, para concluir a lista, faltam ainda Orizaba, no México; Sidley, na Antártida; e Giluwe, na Papua-Nova Guiné.


A preparação do alpinista para a empreitada de 16 dias inclui treino de musculação quatro vezes por semana, corrida, ioga e até mesmo meditação. “Eu considero o montanhismo uma meditação, porque são horas, dias caminhando sem falar com ninguém, super cansado, então se você não entrar numa meditação em cada passo, a cabeça começa a pregar algumas peças na gente”, conta o empresário.

Na bagagem de 35kg, André levará diversos tipos de vestimenta, incluindo bota reforçada contra o gelo; equipamentos de alpinismo; carregador movido à energia solar; itens de alimentação, como cantil de água e comida especial para ser preparada na água quente; e também um rastreador via satélite, que possibilita mandar mensagens de SMS do alto do vulcão.


O alpinista também já escalou o Aconcágua, de 6.962 metros de altura, localizado na América do Sul, mas desistiu a 200 metros do cume por alguns erros e nevasca dias antes. Por isso, desta vez, o planejamento é minucioso para que tudo dê certo. Para André, escalar o Ojos del Salado não será apenas uma aventura, e sim uma realização. “Quando você chega no cume, é um momento de muita alegria, de muita emoção… Toda a sua trajetória e todas as pessoas que te ajudaram vêm à mente, então acaba sendo um trabalho de muita gratidão por estar num lugar de tão difícil acesso”, conclui.



WhatsApp-icone.png